Literatura Gospel



X

Tertuliano

O Teólogo da Trindade

Introdução

Embora Paulo escreva aos coríntios que a regra geral de Deus na Igreja de Cristo é que "não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados" (v. 1Co 1:26 ), mesmo assim, as vezes Deus se satisfaz em dar para a Igreja de Cristo homens de notável capacidade e excelência intelectual, moral e espiritual, que se apresentam como gigantes nos anais da história da igreja.

Tertuliano foi um homem assim.

Embora ele seja pouco conhecido, e apesar da Igreja Católica Romana - com alguma razão - considerá-lo um herege e apóstata, ele continua sendo uma figura de destaque, cuja importância na igreja fica em pé de igualdade com homens como Agostinho, Lutero e Calvino.

Grande parte da vida de Tertuliano foi perdida num passado empoeirado. Apenas os aspectos mais gerais chegaram até nós.

Ele era de Cartago, uma cidade no norte da África com alguma importância na história do Império Romano, uma cidade conhecida por possuir a mais jovem escola de meninos que aprenderam um pouco da história antiga.

A igreja do século terceiro havia se espalhado por todo o Império Romano. Foi dividida geográfica e nacionalmente em duas partes. A Igreja Oriental, incluindo a Palestina, Síria, Ásia Menor, Grécia e Egito, era basicamente grega. A língua falada era a grega e possuía a especulativa mentalidade grega. A Igreja Ocidental, incluindo a Itália, Espanha, Gália e a África do Norte, era latina. A língua falada era o latim e estava sob a influência da praticidade da mente romana com sua ênfase na lei.

Tertuliano pertencia à Igreja Ocidental.

O cristianismo chegou cedo à África do Norte, provavelmente vindo da Itália. Mas a obra do Senhor trouxe muitos frutos, e em meados do terceiro século, noventa ministros estavam trabalhando na área da província em que Cartago era encontrada.

Tertuliano fez os pagãos recordarem da obra de Deus na sua terra.

"Se quiséssemos agir, não simplesmente como vingadores secretos, mas como inimigos declarados, que oposição eficaz poderia ser oferecida a nós? Nós chegamos ontem, e ainda assim ocupamos todos os lugares que pertencem a vocês - vilas, ilhas, fortalezas, cidades, comércios, os próprios acampamentos militares, tribos, conselhos municipais, o palácio, o senado, o mercado local; nós não deixamos nada, a não ser seus templos."

A igreja da África do Norte veio a conhecer o que era a perseguição, pois as areias desta parte da África tinham sido encharcadas com o sangue de muitos mártires.

Tertuliano falou da sua experiência pessoal, quando escreveu que o "sangue dos mártires é a semente da igreja". Em uma furiosa defesa aos cristãos, Tertuliano cobrou o império a respeito do ódio injusto contra o cristianismo.

"O termo ,conspiração, não deve ser aplicado a nós, mas sim àqueles que planejam incitar ódio contra pessoas decentes e dignas, àqueles que gritam pelo sangue dos inocentes e apelam por justificação do seu ódio, na desculpa tola de que os cristãos são culpados de cada calamidade pública e cada desgraça que se abate sobre o povo. Se o Tibre transborda, se o Nilo não consegue subir e inundar os campos, se o céu retém a sua chuva, se houver terremoto ou fome, ou praga, logo surge o grito: Os cristãos aos leões!"

Início da Sua Vida

Quem foi Tertuliano? Ele nasceu em Cartago, filho de pais pagãos. Ninguém sabe a data de seu nascimento. Acredita-se que foi entre 145 a 160 d.C., embora a data mais antiga esteja provavelmente mais próxima da verdade. Seu pai era um centurião romano no exército da África, algo como um "ajudante-de-campo" de um alto oficial.

Por seu pai ter aspirações mais altas para seu filho, Tertuliano foi preparado para o serviço civil do império através da formação em jurisprudência e na arte da eloquência forense. Em pouco tempo, suas habilidades intelectuais incomuns, colocaram-no à frente de seus colegas.

Tudo isso foi abandonado quando ele se converteu ao cristianismo. Embora ele não tenha mencionado sua conversão em seus escritos, ele se refere ao fato como sendo um evento repentino e dramático. Ele escreveu: "Cristãos são feitos, não nascem", em uma reflexão sobre o súbito trabalho de Deus que lhe trouxe das trevas do paganismo à luz do Evangelho.

O Trabalho de Sua Vida

Desde o momento de sua conversão, Tertuliano tornou-se um adversário implacável de todos os inimigos da igreja e um forte e contundente defensor da fé. Ele foi um homem de grande habilidade, superado por poucos na história da igreja. Mas também foi um homem de temperamento afiado e impetuoso, perspicaz e muitas vezes, capaz de manejar a caneta de maneira amarga e satírica contra aqueles que negavam a fé.

Seus escritos lembram Lutero, ele não tinha medo nenhum de insultar os seus inimigos, até mesmo com termos que beiravam os limites da decência. Ele lutou arduamente e sem temor por muito tempo em defesa da fé.

Com aproximadamente dez anos de conversão, Tertuliano se tornou um presbítero na igreja. Isto é muito surpreendente levando em conta o fato de que ele era casado, pois a igreja, já no início, tendia a franzir a testa para homens casados ​que exerciam funções especiais na igreja. Em duas longas cartas para sua esposa, ele exaltou a bem-aventurança do matrimônio, advertiu contra o adultério e a falta de modéstia. Os pensamentos expressos em tais escritos são apropriados para a nossa era imoral.

Tertuliano era um inimigo feroz de todos os que atacavam o cristianismo. Ele desprezava a filosofia pagã e defendia a igreja contra o paganismo. Ele lutou contra o herege Márcion, o primeiro proponente da Alta Crítica da Escritura, que atacava a inspiração infalível da Palavra de Deus. E também escreveu exaustivamente contra os gnósticos.

Este último não é de menor importância. A heresia gnóstica, a qual causou tanto sofrimento a igreja no início da sua história, pode muito bem ser classificada como a primeira tentativa de estabelecer uma religião mundial, a qual todos os homens pudessem aderir. Ela fundiu em um sistema, elementos do cristianismo, a filosofia grega e o misticismo oriental. Ela propôs uma religião aceitável para todos os homens, pois conservava o que supostamente eram os melhores elementos de cada religião.

Muito semelhante ao ecumenismo moderno, que também procura forjar um sistema de doutrina que pode ser aceitável para cristãos, judeus, budistas, muçulmanos e pagãos.

Contra este ataque feroz à igreja, Tertuliano empreendeu uma guerra intransigente. Ele insistia que a fé cristã era única entre todas as religiões do mundo, pois tem sua origem na Escritura, e a Escritura foi dada por Deus. Ele dizia que todas as outras religiões eram apóstatas e desviavam-se da verdade.

Não é de se estranhar que esta posição não tenha conquistado amigos para Tertuliano. Esta posição era tão controversa naquele tempo quanto hoje em dia, pois é inimiga de toda aliança e tolerância profana.

Tertuliano não apenas empunhou sua impetuosa caneta contra os hereges de toda espécie, ele também dedicou suas energias em favor da revelação da verdade. Esta é sem dúvida sua marcante contribuição para a história da Igreja de Cristo.

Duas áreas são especialmente notáveis a este respeito.

Embora seu sucessor no norte da África tenha sido Agostinho, a quem Deus usou para desenvolver as doutrinas da depravação total, soberania e graça particular em oposição ao pelagianismo e semipelagianismo, Tertuliano antecipou Agostinho em alguns aspectos.

"Ele foi o pioneiro da antropologia e soteriologia ortodoxa, foi o professor de Cipriano - outro teólogo norte africano -, e precursor de Agostinho, neste último o seu espírito foi reproduzido em porção dupla, embora sem as suas excentricidades e peculiaridades."

Um exemplo impressionante da capacidade de Tertuliano formular ideias à frente de seu tempo, era a sua doutrina do traducionismo. O traducionismo ensina que a alma de um homem é dada a ele junto com seu corpo pelos seus pais e não é especialmente criada por Deus no momento da concepção. Enquanto o certo ou o errado quanto a esta doutrina não é tão importante para nós, ela torna-se importante
porque Tertuliano a ensinou em defesa da verdade do pecado original, em outras palavras, que o pecado foi transmitido através da concepção e do nascimento, resultando em uma natureza depravada. Nós recebemos um corpo e alma corruptos de nossos pais, porque o corpo e a alma vêm de nossos pais. Quase que sozinho, Tertuliano ensinou essa relevante verdade.

Mas o que dá à Tertuliano um lugar de duradoura importância na memória da igreja são seus ensinamentos sobre a divindade de Cristo e da doutrina da Trindade.

Para apreciar isso, nós devemos entender que até aquele momento a igreja não tinha formulado qualquer doutrina dessas importantes verdades. Elas são, com certeza, as mais profundas de toda a fé cristã. A igreja primitiva se debateu com elas. Como Deus pode ser um e três? Se Deus é três, seria como se a religião cristã ensina um politeísmo ligeiramente diferente do paganismo. Se Deus é um só, Cristo não pode ser Deus. Como esses problemas podem ser resolvidos?

Muitas respostas foram sugeridas, mas toda vez que uma resposta era dada, a igreja olhava para Escritura e condenava a resposta como sendo contrária aos ensinamentos da Palavra de Deus. Levou um longo tempo até a igreja estar pronta para afirmar o que de fato a Bíblia ensina sobre estes pontos importantes. Em parte, o problema era que a igreja não tinha uma terminologia adequada para expressar esta verdade, porque os termos que usamos, como essência, pessoa, natureza, subsistência, não são termos bíblicos. A igreja teve que desenvolver e concordar sobre uma terminologia que pudesse ser usada para expressar os ensinos da Escritura. Isto não aconteceu até o ano de 324, e somente depois de uma luta longa e amarga, é que esses problemas foram resolvidos e o grande Credo de Nicéia elaborado.

Uma característica notável dessas controvérsias foi o fato de que elas eram quase que exclusivamente limitadas a Igreja Oriental. A Igreja Ocidental nunca teve nenhuma dificuldade com esses problemas, não foi incomodada por essas heresias, e teve quase desde o início, uma compreensão correta dessas difíceis questões. Isso foi um fato, devido ao talento de Tertuliano. Ele foi o único que um século antes de Nicéia, entendeu a doutrina, ensinou e escreveu sobre ela, e deu a igreja termos que ainda
utilizamos hoje, termos como "Trindade", "pessoa", e "substância". Ele foi o primeiro a ensinar que Deus era um em essência e três em pessoa.

Penso que isso vai quase além da compreensão humana, que um homem poderia ser usado por Deus para fazer tanto pela igreja. Enquanto tempestades de controvérsias despedaçavam a Igreja Oriental, sendo dividida por essas difíceis doutrinas, o Ocidente passou por isto de forma tranquila, sem interrupções pelas tempestades, firmemente enraizada nestas verdades, tudo por causa do labor de Tertuliano, que ensinou-lhes isto um século antes de Nicéia.

Seus Últimos Anos

Porém a história de Tertuliano não está completa sem este último triste capítulo.

Tertuliano passou seus últimos anos - ele morreu em alguma data entre 220 e 240 - como um membro de uma seita, a seita dos montanistas.

Os montanistas começaram um movimento dentro da igreja que enfatizava o místico e o subjetivo. Era uma seita ascética caracterizada por protestos contra o mundanismo e a carnalidade na igreja, mas tendendo à formas aparentes de renúncia; que Paulo descreve como não tendo nenhum lucro. O montanismo defendia a revelação subjetiva por meio do Espírito e as manifestações especiais do Espírito naqueles que foram cheios do Espírito. Esta tem sua manifestação moderna no pentecostalismo e no movimento carismático. De fato, não há novo debaixo do sol.

Muitos estudantes da história da igreja debatem a razão que levou Tertuliano a juntar-se a esta seita. Alguns atribuem isso a sua excentricidade, alguns à sua natureza radical e outros a sua inclinação ascética. Nós não podemos dizer. O que sabemos é que Tertuliano protestou veementemente contra todas as formas de mundanismo e carnalidade espiritual dentro da igreja. Pode ser que o caráter ascético dos montanistas o atraía. De qualquer forma, nesta seita ele passou os últimos anos
de sua vida, e como membro desta seita ele morreu. Agostinho diz que Tertuliano voltou à igreja antes de sua morte, mas não há nenhuma evidência de que isso seja verdade. É um triste fim para um homem talentoso, e deixamos o julgamento para o Senhor. Os maiores homens neste mundo de pecado têm suas falhas. Nossa confiança não está nos homens, mas no Senhor.

Entretanto, a filiação de Tertuliano com os montanistas é um aviso permanente de que tais movimentos como o montanismo e o pentecostalismo correm para dentro da igreja como um vento forte, para preencher um vazio espiritual criado pela conformidade com o mundo e a ortodoxia morta. Vamos aprender as lições da história e sermos sábios.


Por Herman Hanko - Retrato de santos fiéis