Literatura Gospel



X

Fazendo a escolha certa do Cônjuge

Namoro - Noivado - Casamento

O dicionário define namoro como cortejar, inspirar amor, apaixonar, cativar,

desejar ardentemente, empregar todos os esforços para obter, ficar encantado
etc. Sempre que tratamos deste tema, a pergunta que mais ouvimos é: O namoro é
bíblico? A Bíblia não fala de namoro, o que não significa afirmar que os
jovens daquele tempo não namoravam. (Pv 18:24) Gosto do que disse Henry
Cloud: "Deus pode fazer as pessoas crescerem pelo namoro da mesma forma que as
faz crescer por outra atividade".
O namoro dentro da cultura brasileira, se tornou um fenômeno social, isto

porque a busca por alguém para este relacionamento, vem ocupando o primeiro
lugar na lista de prioridades na vida dos jovens. Estamos vivendo em uma
sociedade, onde infelizmente predomina a inversão dos valores, por isso
namorar é quase uma imposição até para os que estão na pré-adolescência.
Diante desta realidade que vivemos faz-se necessário refletirmos sobre alguns
pontos importantes.
O casamento começa a ser construído no namoro.

Se a escolha do futuro cônjuge começa a partir do namoro, os jovens precisam

saber que: Esta é uma etapa para o conhecimento recíproco da natureza, da
consistência e da estabilidade dos sentimentos que estão envolvidos e dos que
a ele deram origem. Infelizmente, e com freqüência, o namoro tem se tornado
uma corrida mal orientada e desenfreada, que termina com um casamento às
pressas. Esta fase é importantíssima pelo fato de conduzir a um aprofundamento
de relações que é o noivado. É um período de educação de sentimentos, de abrir
muito os ouvidos e os olhos. É no namoro que começa a formação, o nascimento
do cônjuge, eis a razão porque este relacionamento deve ser administrado com
muito critério e responsabilidade. Quando os jovens não levam a sério esse
primeiro passo na direção do compromisso maior, que é o casamento, a tendência
é construir um projeto de vida vulnerável. É imprescindível que Deus seja o
Senhor do "namoro", e o resultado final será um casamento abençoado.
Quando o namoro se torna prejudicial.

1. O namoro deixa de ser importante quando acontece antes do tempo (Ec 3:1; Lm

3:27).
Quando o relacionamento afetivo e comprometido é concretizado antes do
tempo, dificilmente é edificante e construtivo. Os pais precisam atentar para
este fato e insistir com os odolescentes mostrando que, um namoro iniciado aos
quatorze anos é um condicionante de ciúmes desmedido e um estimulante poderoso
para a prática do auto erotismo.
2. O namoro deixa de ser importante quando não tem um propósito definido. A

vida do cristão precisa ter propósito bem definido de acordo com os princípios
da Palavra de Deus. O jovem não é obrigado a se casar com a primeira
namorada, mas é necessário que o mesmo tenha este ideal em sua mente. Um
namoro sem propósito é um relacionamento fadado ao fracasso, frustrações e sem
a aprovação de Deus. (Rm 14:5b e 23;
3. O namoro deixa de ser importante quando é possessivo. A unidade de um casal

seja no namoro, noivado ou casamento não pode ser doentia. Se o casamento não
é uma chamada para o encarceramento, quanto menos o namoro. O ciúmes
patológico aprisiona os namorados, e isto é destrutivo. No amor não há este
sentimento de possessividade. (1 Co 13)
4. O namoro deixa de ser importante quando é leviano. Há um versículo em

Provérbios que define bem o leviano: "Assim é o homem que engana o seu
próximo, e diz: Fiz isso por brincadeira". (Pv. 26:19)
5. O namoro deixa de ser importante quando é indisciplinado. (Pv 5:12) Jovens

disciplinados sabem a hora de chegar e de sair, evitam lugares solitários e
propícios para os excessos etc. A indisciplina de alguns tem sido a causa do
fracasso do relacionamento.
6. O namoro deixa de ser importante quando é imoral. O que Paulo disse a

Timóteo, serve para todos os jovens que desejam agradar a Deus também no
namoro. "Fuja de qualquer coisa que lhe provoque os pensamentos malignos que
os rapazes muitas vezes têm, mas aproxime-se de qualquer coisa que o leve a
querer fazer o bem. Tenha fé e amor, e sinta prazer na companhia daqueles que
amam o Senhor e têm coração puro". (2 Tm 2:22 BLH) Lembre-se que toda
infiltração da impureza no namoro começa com o aconchego excessivo. (Pv 6:27;
EZ 23:3; Os 2:2; 1 Ts 4:1-8)
Uma lista de idéias práticas que pode ajudar os jovens na escolha.

Toda escolha importante na vida, é sempre muito difícil, isso porque se

errarmos os prejuízos podem ser irreparáveis. Uma das escolhas mais importante
na vida de um jovem, é a do futuro cônjuge. O pastor Davi Merkh desenvolveu
uma lista de idéias práticas que pode auxiliar todos aqueles que desejam
começar um relacionamento debaixo da bênção de Deus:
1. Fazer uma lista das qualidades desejáveis no futuro cônjuge. Essa lista

deve ser dividida em duas partes: a) qualidades essenciais e b) qualidades
desejadas (opcionais).
2. Estabelecer um "pacto de namoro". O ideal é que seja um acordo entre pais e

filhos, mas isso não significa que o jovem não pode firmar uma "aliança" entre
ele e Deus só. O pacto deve incluir padrões de namoro, traçar o tipo de
envolvimento esperado entre qualquer namorado e os pais, e como o
relacionamento deve caminhar em direção ao casamento.
3. Permitir que os pais sejam os "guardiões" do seu coração. Provérbios 4:23 e

23:26 falam da importância do coração, e da necessidade de guardá-lo puro.
Deus constituiu os pais como protetores do coração de seus filhos. Parte
fundamental desta "vigia" do coração dos filhos pelos pais, inclui o exemplo
de pureza moral dos pais, especialmente nos hábitos de entretenimento (filmes,
programas de TV, revistas, Internet etc.). As ações dos pais falam mais alto
que suas palavras.
4.Confiar na opinião da sua família e amigos chegados. Provérbios nos lembra

de que há segurança na multidão de conselheiros sábios-pessoas que nos
conhecem, mas também conhecem a Deus (Pv 11:14, 15:22, 24:6). Infelizmente
muitos jovens ignoram o conselho de seus amigos, irmãos e irmãs-justamente as
pessoas que melhor os conhecem. Tragédias no casamento são o resultado
freqüente da indiferença em relação aos conselhos poderiam ajudar.
5. Procurar o acompanhamento de um casal mais maduro.

6. Procurar um "estágio" dos "interessados". O "estágio" nada mais é do que

tempo investido por cada pessoa (de preferência, depois do noivado) na casa do
outro. O propósito é de conhecer tão de perto quanto possível os gostos, as
tradições, os maneirismos em resumo saber qual a cultura dessa outra família.
7. Fazer um aconselhamento pré-nupcial.

O NOIVADO

O noivado é um passo que só deve ser dado quando os dois já estiverem

plenamente convictos de que estão no centro da vontade de Deus, a data do
casamento programada e os dois já conhecem o caráter, a personalidade, os
ideais um do outro. O noivado não deve ser um período no qual o casal se sente
tão seguro, ao ponto de extrapolarem os limites cometendo o pecado de
fornicação. Estar noivos, não significa que já pertencem um ao outro como
marido e mulher, ainda há um tempo de espera a ser respeitado para não ofuscar
a beleza da união do casal em Cristo Jesus. O período do noivado, deve servir
para a preparação de tudo aquilo que tem a ver com o inicio da caminhada
conjugal, isso vai desde o curso pré-matrimonial, a compra do vestido da noiva
e da roupa do noivo, passando pela cerimônia, festa, viagem de lua de mel,
casa, mobília, igreja onde vão congregar, isto é, quando não congregam na
mesma igreja etc. Lembre-se, uma viagem improvisada é sempre muito arriscada,
a sabedoria e a prudência nos ensinam, que, quanto mais longa a viagem, melhor
e maior deve ser a preparação, pois são muitos os imprevistos a serem
enfrentados. O casamento é uma viagem que foi programada por Deus para durar a
vida inteira, (Mt 19:6) eis a razão porque o casal deve se preparar muito bem.
Não é interessante que o noivado seja muito longo, é preciso usar o bom senso,
se os dois estão certos da vontade de Deus e se sentem maduros e preparados
para o casamento, não tem porque protelar.
O CASAMENTO

Compreendendo o vínculo conjugal através de algumas definições.

Ao ser interrogado pelos fariseus sobre o divórcio, Jesus respondeu: "Não

tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, E disse:
Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois
numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus
ajuntou não o separe o homem". (Mt 19:4-6)
1. Casamento é uma relação afetiva e sexual estável entre um homem e uma

mulher de grande importância psicológica e social que foi projetada por Deus,
é uma das mais antigas da humanidade que sofreu sem dúvida algumas mudanças ou
adaptações ao longo da história, conservando porém a sua essência.
2. Casamento é a união voluntária entre duas pessoas de sexos opostos, sob um

mesmo teto, com o fim de partilhar a vida em todos os seus aspectos. Do ponto
de vista jurídico, é o contrato livremente firmado por um homem e uma mulher,
pelo qual se assegura a opção por uma vida em comum e pela repartição
recíproca dos bens.
3. Casamento é um pacto sagrado, legal, público, social e monogâmico.

4. Casamento é uma escola onde os dois se matriculam para aprender a ser o que

na maioria das vezes nunca foram - marido e esposa.
5. Casamento é um contrato social entre duas pessoas dispostas a servir.

Costumo dizer em minhas palestras para casais que: "Quem não serve, não serve
para ser marido ou esposa".
6. Casamento é a construção de uma nova cultura a partir de duas já

existentes. Isto porque os dois trazem das famílias de origem uma herança da
cultura familiar.
Concluindo, o namoro é a porta de entrada em direção ao casamento, e quando

todo o processo é dirigido por Deus, terá a garantia da sua presença que dará
ao casal a certeza de uma vida debaixo das suas bênçãos. Nas próximas lições
estaremos estudando sobre os aspectos fundamentais para a vida de casal e de
família.

Pr. Josué Gonçalves
Familiaegraça.com.br