Literatura Gospel



X

Casamento - Pequenos erros, grandes prejuízos

Lucros e prejuízos das pequenas coisas

Após a leitura desse artigo, assista ao filme À PROVA DE FOGO com seu cônjuge, para assisti-lo Clique Aqui!


Há alguns anos desabou um edifício residencial no Rio de Janeiro. A televisão mostrou, ao vivo, as cenas dramáticas do resgate dos sobreviventes e da retirada dos mortos. Alguns dias depois, foi divulgado o resultado da perícia. A conclusão dos peritos é que a causa básica do desabamento foram pequenas infiltrações de água que, durante meses, foram amolecendo o solo e diminuindo a sua resistência. A seguir, uma chuva forte, acompanhada de ventos impetuosos, derrubou o prédio. Outros edifícios estiveram debaixo da mesma chuva e sofreram a pressão da força dos mesmos ventos, mas não caíram porque os seus alicerces estavam em solo firme.

O que aconteceu com aquele edifício ilustra o que ocorre com muitos casamentos. O somatório de pequenos erros e pequenos aborrecimentos destrói as bases do casamento. A seguir surge uma crise mais grave e o casamento desaba. O maior perigo à segurança do casamento não são as grandes crises: são as pequenas coisas.

O edifício destruído pela ação silenciosa de pequenas infiltrações havia sido construído com o somatório de pequenas britas, pequenos tijolos... até as grandes lajes foram feitas com a superposição de pequenas quantidades de concreto.

Pequenas coisas construíram o edifício; e pequenas coisas o derrubaram. Algo semelhante acontece com o casamento. Se pequenas coisas podem destruí-lo, pequenas coisas também podem enriquecê-lo. John e Betty Drescher, depois de trinta anos de casados, afirmaram: "Se fôssemos começar de novo nosso casamento, procuraríamos diplomar-nos nas pequenas coisas".1

Os Pequenos Erros

Marido e mulher costumam cometer pequenos erros, sem se dar conta dos grandes prejuízos que eles podem causar. Citaremos alguns destes pequenos erros, a seguir:

1o) Terminar o namoro - Alguns casais, logo após a lua-de-mel, esquecem o romantismo do período de namoro. E o resultado deste pequeno erro pode ser um grande fracasso. O casamento torna-se frio, desinteressante e monótono.

2o) Explorar o cônjuge - O que é explorar alguém? É exigir ou tirar da pessoa mais do que ela pode ou deve dar. No casamento, normalmente é o marido que mais comete esse erro. Alguns maridos - talvez a maioria -querem que a esposa seja cozinheira, garçonete, arrumadeira, faxineira, lavadeira, gerente de compras, enquanto eles se limitam a se assentar à mesa para desfrutar, apreciar ou
criticar o que foi feito. Por que eles não compartilham com as esposa as atividades domésticas? Outras vezes é a esposa que explora o marido. A exploração pode atingir várias área, tais como: financeira, social e até física. A exploração do cônjuge pode parecer um pequeno erro, mas traz grandes prejuízos.

3o) Infidelidade mental - Jesus ensinou que a infidelidade conjugal pode ocorrer também na mente das pessoas: Ele disse: "Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: Qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração já adulterou com ela" (Mateus 5.27,28). O cônjuge
encantado com outra pessoa está cometendo infidelidade mental. Isto pode ocorrer com o marido, que corre o risco de ficar encantado com as mulheres que encontra em seu local de trabalho, nos bancos, nas lojas comerciais ou em outros locais. Ou com a esposa, que pode ficar encantada com os artistas da televisão ou do cinema, com os cantores, com os atletas ou com qualquer outro homem. A afeição dividida mata o amor. Marido e esposa devem dedicar toda a sua afeição ao cônjuge; e não permitir que, em seu coração ou em sua mente, se desenvolva qualquer atração romântica por outra pessoa.

Os Pequenos Aborrecimentos

Os pequenos erros produzem pequenos aborrecimentos que, por sua vez, causam grandes prejuízos. Assim como pequenas infiltrações de água derrubaram um edifício aparentemente tão seguro, pequenos aborrecimentos podem destruir um casamento aparentemente tão sólido.

Para evitar os prejuízos dos pequenos aborrecimentos, o casal deve tomar os seguintes cuidados:

1o) Reconhecer que seu cônjuge é uma pessoa imperfeita - Jamais devemos esperar ou exigir perfeição de nosso cônjuge. Nós somos pessoas imperfeitas casadas com pessoas imperfeitas.

2o) Aceitar as falhas do cônjuge como parte normal do jogo da vida - Se tivéssemos total domínio sobre o sol e a chuva, o frio e o calor, a nossa vida seria bem diferente. Mas não temos.

Às vezes fazemos com tanto gosto - e até com grande sacrifício - roupa para uma ocasião especial e, no dia da festa, a temperatura está drasticamente mudada, e a roupa torna-se inadequada. Outras vezes programamos um passeio e a chuva nos obriga a cancelá-lo. Vamos ficar aborrecidos com isto? De modo nenhum - é o jogo da vida. Pois é assim também que devemos encarar os pequenos aborrecimentos
provocados pelo nosso cônjuge - eles fazem parte do jogo da vida.

3o) Falar ao cônjuge sobre os aborrecimentos -Devemos falar ao nosso cônjuge sobre as coisas que nos estão aborrecendo. Ele poderá dar-nos uma explicação convincente. Ou mudar o seu comportamento.

4o) Resolver imediatamente os problemas que estejam causando aborrecimento - Os problemas não devem acumular-se. O apóstolo Paulo recomendou: "Não se ponha o sol sobre a vossa ira" (Efésios 4.26). Isto significa que os problemas do dia devem ser resolvidos no próprio dia.

As Pequenas Demonstrações de Amor e Respeito

Se pequenos erros e pequenos aborrecimentos trazem grandes prejuízos para o casamento, pequenas demonstrações de amor e respeito trazem grandes lucros. John e Betty Drescher escreveram: "Sabemos hoje que uma pequena palavra de apreciação faz com que qualquer dia se transforme em prazer. Sem um
sentido de apreciação, até os nossos melhores esforços se tornam rotina. Sabemos hoje que um toque de ternura consegue transformar uma manhã sombria numa canção alegre. Sem ternura, a vida fica difícil. Sabemos hoje que uma pequena ajuda pode fazer com que a tarefa mais inexpressiva venha a ser uma manifestação de amor duradouro. Sem o espírito de colaboração, a vida se torna solitária e
enfadonha".2

Veremos, a seguir, pequenas demonstrações de amor e respeito que podem enriquecer a vida conjugal.

1a) Solidariedade - O apóstolo Paulo fez a seguinte recomendação: "Alegrai-vos com os que se alegram, e chorai com os que choram" (Romanos 12.15). Isto é solidariedade. Todo cristão deve ser solidário. Marido e mulher, muito mais ainda. Os dois são uma só carne; logo, o que dói em um deve ser sentido também pelo outro, e as alegrias de um devem alegrar também o outro. John e Betty contam a experiência de um marido que tinha muitas dúvidas sobre o amor de sua esposa. "Certa noite, já bem tarde, ele se achava trabalhando no porão com um soldador. De repetente, o soldador bateu num fio elétrico, provocando muito ruído e um clarão. A seguir, a luz se apagou. No escuro, ele correu para a garagem a fim de verificar os fusíveis. Quando ele voltou, encontrou a mulher sentada nos degraus da escada, chorando desesperadamente. Ela havia corrido para o porão depois de ouvir o barulho, encontrou-o às escuras e chamou o marido - e ele não respondeu ao chamado."3 A esposa pensou que o marido estivesse morto ou gravemente ferido, e pôs-se a chorar. Esta pequena demonstração de amor foi suficiente para apagar todas as dúvidas, e o marido nunca mais se sentiu inseguro quanto ao amor de sua esposa. Isto é solidariedade.

2a) Elogios sinceros - No livro de Provérbios está escrito que a mulher virtuosa recebe elogios de seu esposo. "Seu marido a louva, dizendo: Muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas" (Provérbios 31.28,29). Será que ela recebe elogio por ser virtuosa ou é virtuosa porque recebe elogios? Qualquer que seja a nossa resposta, ela será uma apologia do elogio. A verdade é que o elogio sincero é uniu pequena demonstração de amor e respeito que produz grandes lucros - para quem elogia e para quem é elogiado. Marido e mulher devem cultivar o hábito do elogio sincero. "Nós nos sentimos bem intimamente quando recebemos aprovação. Nossos relacionamentos nos fazem felizes quando confirmamos e elogiamos um ao outro."4

3a) Dar preferência ao cônjuge - A pessoa mais importante na vida do marido deve ser a esposa. A pessoa mais importante na vida da esposa deve ser o marido. Os pais são importantes, mas a recomendação bíblica é: "... deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher" (Gênesis 2.24). A Bíblia recomenda também: "Amai-vos cordialmente uns aos outros ... preferindo-vos em honra uns aos outros" (Romanos 12.10). A nossa maior atenção, a maior estima e os primeiros cuidados devem ser reservados para o nosso cônjuge. A prática desta preferência na convivência diária do casal pode parecer uma pequena coisa, mas trará excelentes resultados.

4a) Desenvolver uma intimidade espiritual -Marido e esposa devem cultivar o saudável costume de estudar a Bíblia e orar juntos. O Pastor Jaime Kemp, que tem uma longa experiência em trabalho com casais, dá o seguinte testemunho: "Eu nunca vi um casal que tenha desenvolvido intimidade na oração divorciar-se".5pela oração, juntos, eles colocam diante de Deus as suas necessidades. Isto pode
parecer uma coisa muito pequena, mas só no céu é que sabemos a extensão dos benefícios que esta prática trará.

Conclusão

A razão do fracasso de muitos casamentos está nas pequenas coisas. O segredo do sucesso de muitos casamentos está também nas pequenas coisas.

"Descobrimos que, ao falhar nas pequenas coisas da vida, perdemos as grandes oportunidades de provar que somos fiéis. Quando deixamos de mostrar amor nas pequenas coisas, descobrimos ser mais difícil celebrar as grandes ocasiões. Quando deixamos de expressar apreciação nas pequenas coisas e palavras, nosso esforço nas grandes coisas parece sem sentido."6

O casal que quer construir um grande casamento e viver um grande amor deve evitar os pequenos erros, contornar os pequenos aborrecimentos e não perder oportunidade de pequenas demonstrações de amor e respeito.

Para Refletir

"Os pequenos atos de bondade, de cortesia, as considerações praticadas habitualmente em nosso relacionamento social, dão maior atração ao caráter do que os grandes talentos e realizações"
(M. A. Kelty).

1 John & Betty Drescher, Começar de Novo, p. 54
2 John & Betty Drescher, op. cit., p. 53
3 John & Betty Drescher, op. cit., p. 17
4 John & Betty Drescher, op. cit., p. 18
5 Jaime Kemp, Sua Família Pode Ser Melhor, p. 100
6 John & Betty Drescher, op. cit., p. 53


Por Adão Carlos Nascimento - Oficina de Casamentos